Doroteia Peixoto volta a triunfar em Macau

Portugal voltou a ser falado na Maratona de Macau, muito graças à vitória (a segunda consecutiva) de Doroteia Peixoto na meia maratona.
A atleta portuguesa, do Amigos da Montanha, cumpriu a distância (21,09 km) em 1:16.00, à frente das quenianas Edinah Jeruto Koech (1:16.31) e de Margaret Njuguna (1:18.20). Doroteia correu a distância deste ano a um ritmo mais rápido do que na sua estreia (1:16.40), no ano passado.
“O meu objetivo era tentar bater o recorde do percurso. Fiquei mais perto, mas não consegui, embora tenha melhorado o tempo de há um ano. De qualquer forma, fiquei muito feliz com esta vitória, até porque a humidade dificulta a respiração. Este ano [a vitória] foi mais apertada, a queniana deu luta até ao fim”, afirmou a atleta à Agência Lusa, antes de subir ao pódio.
Nesta mesma prova, participou a sportinguista Sandra Teixeira que terminou na sexta posição com a marca de 1:22.02, à frente da angolana Adelaide Machado.
Na mesma distância, mas em masculinos, Daniel Pinheiro, do Maia AC, foi sexto classificado com 1:07.28, numa prova dominada pelos atletas quenianos, com o pódio a ser ocupado, por esta ordem, por Josphat Menjo (1:04.49), Kibiwot Samwel (1:04.49) e Joseph Ngare (1:05.20), este tinha sido o vencedor há um ano.
Nelson Cruz, do Clube Pedro Pessoa, também correu a distância em 1:09.12, terminando na 11ª posição. Entre os representantes dos países de Língua Oficial Portuguesa, o melhor foi o moçambicano António Afonso Tonderai, nono classificado.

Vera Nunes no top 10 da maratona

Na distância rainha, de maratona, a portuguesa Vera Nunes cortou a meta em nono lugar, com 2:37.41. A atleta benfiquista, que no ano passado tinha ficado em sexto lugar com uma marca acima das 2h40, fez agora a sua terceira marca de sempre. Recorde-se que a portuguesa tem 2.34.18 como recorde pessoal, obtido este ano com triunfo na Maratona de Zurique.
O primeiro lugar na maratona foi para Eunice Jepkirui Kirwa, do Bahrein, com 2:29.12. Em segundo lugar, com 2:33.06, ficou a ucraniana Shafar Oleksandra, e em terceiro a queniana Rodah Jepkorir Tanui (2:33.41).
A vitória na maratona masculina pertenceu ao queniano Felix Kiptoo Kirwa, com 2:10.01, seguido pelos compatriotas Joseph Kyengo Munywoki (2:13.18) e Henry Sang (2:13.48). António Sousa, treinador de Vera Nunes, que acompanhou a sua pupila, acabou no 12º lugar com 2:37.39.
Uma lesão impediu a portuguesa Rosa Mota, de 59 anos, campeã olímpica, mundial e europeia da maratona, de participar na mini-maratona de Macau, que ganhou em 2016. “Gosto muito de vir a Macau, de participar, mas uma lesão impediu-me de correr este ano”, disse.
Esta foi a 36.ª edição da Maratona Internacional de Macau, em que se inscreveram 12.000 atletas nas provas que integram o programa, terminando 1071 concorrentes na maratona (com 136 mulheres, 12%), 2872 na meia-maratona (536 mulheres, 18%) e 4498 na mini-maratona (2380 mulheres, 53%!), este último um número espectacular de participação feminina.

Principais resultados