Três (ou quatro) portugueses nos rankings da T&FN

Pódio dos mundiais de 2015 (foto arquivo IAAF)

Já foram publicados os conhecidos rankings de mérito da popular revista norte-americana “Track And Field News” (T&FN).

Chamam-lhes assim porque não se baseiam apenas nos resultados ou nas marcas, mas sim numa combinação de todas essas vertentes, desde as marcas, aos títulos, aos confrontos entre cada um dos atletas.

Por isso, estranhar-se-á, numa primeira observação, ver alguns nomes surgirem no topo da lista sem terem sido campeões mundiais ou liderarem as tabelas de estatística quanto a melhores marcas.

Um exemplo disso é a norte-americana Emma Coburn, campeã mundial de 3000 m obstáculos, mas apenas terceira atrás da queniana Beatrice Chepkoech e de Ruth Jebet (Bahrain).

Os quatro (ou três…) portugueses

Uma inversão do título, este nosso subtítulo, por uma razão muito especial no que toca ao triplo-salto. É que estes rankings masculinos da T&FN incluem nesta disciplina o agora português (mas na época passada, ainda cubano) Pedro Pablo Pichardo (ausente do mundial), que figura na terceira posição, atrás dos norte-americanos Christian Taylor e Will Claye, mas à frente do medalha de bronze no Mundial de Londres, Nelson Évora.

Em femininos, nos rankings da T&FN, a melhor posicionada é a marchadora Ana Cabecinha, na quinta posição. A prova de 50 km marcha, em que Inês Henriques é recordista mundial, não está considerada nestas listas.
Outro nome nestas listas, que têm forte impacto em organizadores de grandes meetings, é o da campeã europeia Patrícia Mamona, que surge no oitavo lugar.