Valerão as corridas de S. Silvestre mais de dois milhões e meio de euros?

S. Silvestre de Lisboa (foto arquivo melhormarca.pt)

Com a realização das corridas de S. Silvestre mais mediáticas, fomos recolhendo alguns dados dessas provas que são uma sub marca da corrida e do atletismo. É um nome que atrai e, de facto, estamos agora em condições de fazer um pequeno balanço sobre este fenómeno.

De facto, realizaram-se 52 corridas que utilizaram o nome de S. Silvestre (uma não usa esse nome, a Volta ao Funchal, mas é conhecida como a S. Silvestre da Madeira). Uma (Santa Marta, que até diminuiu o número de participantes) foi em Novembro, 48 em Dezembro e três já em Janeiro de 2018!

Em relação a uma lista que tínhamos de 2016, registaram-se seis novas corridas, mas em contrapartida, houve quatro que não se realizaram (Lourinhã, Ermesinde, Montijo e Lagoa – S. Miguel).

Mais de 40 mil corredores

Em números de participações, apenas nas provas principais (os números de caminhada e dos escalões mais jovens não foram aqui incluídos, mas mais à frente veremos que poderão ter um significado muito importante), as 52 provas de que demos conta tiveram 42497 corredores!

Na totalidade das provas que aqui juntámos registaram-se 42.497 participações, mais 4881 que nas mesmas provas em 2016 (376161), sendo que as novas corridas de S. Silvestre registaram 1433 participantes e as que não se realizaram tinham registado 1079 presenças.

Impacto económico por fazer

O atletismo necessita urgentemente de ferramentas de gestão para as suas organizações, principalmente do impacto económico e social que estas realizações podem representar. E, de facto, em contas muito por alto, podemos estimar que estas provas significam mais de um milhão e meio de euros a circular nas economias locais.

Vejamos então os nossos pensamentos: cada corredor terá gasto uma média de 8,50 euros por inscrição (houve inscrições a mais de 15 euros, mas houve também algumas gratuitas), mais cerca de 20 euros por deslocação e alimentação, o que significa uma entrada nas organizações de uma verba de 1.211.165 €. 

Um milhão e meio em inscrições

Mas, como referimos antes, existem as caminhadas e as provas para os mais jovens e nesta área talvez se tenham registado mais metade de presenças (21 mil participantes), cujo valor de inscrição possa ter sido de cerca de 60% do valor das inscrições da corrida e aí teremos mais 378 mil euros (!).

Uma vez que cerca de 60 a 70% da verba recebida das inscrições se destina a pagar os serviços com os corredores, temos uma verba superior a um milhão (70% da verba da corrida = 908.373 €, 70€ da caminhada = 264.600 €).

Algumas destas provas têm apoios e patrocinadores, mas como desconhecemos os seus valores não os podemos incluir neste pequeno estudo, mas apontará no total para mais uns significativos milhares.

Ora bem, nas resumidas contas que fizemos, as corridas de S. Silvestre permitiram um movimento circular nas economias regionais de cerca de 2,5 milhões de euros!

Entretanto, deixamos aqui a lista actualizada das provas, respectivos vencedores e números de participantes em 2017 e 2016.