Mundial de Meia Maratona em Valência

Joyciline Jepkosgei a triunfar em Valência 2017 (foto IAAF)

A cidade espanhola de Valência torna-se a capital do atletismo mundial no próximo sábado, ao acolher a realização do Mundial de Meia Maratona 2018.

Esta competição iniciou-se em Tyneside (Grã-Bretanha), em 1992, e no ano seguinte transitou para Bruxelas (Bélgica), numa edição carregada de história para Portugal, já que foi ali, a 3 de Outubro, que a bracarense Conceição Ferreira alcançou o título de campeã mundial, com a marca de 1:10.07, derrotando a japonesa Mari Tanigawa por dois segundos e a favorita Tegla Loroupe, do Quénia, por 5 segundos (curiosamente, mais tarde, a queniana viria a vencer a prova, em três ocasiões, em 1997, 98 e 99).

1993 foi o ano em que Portugal alcançou também a medalha de bronze colectiva, pois para além de Conceição Ferreira, pontuaram ainda Albertina Machado (8ª) e Rosa Oliveira (15ª). Uma medalha totalmente minhota!

Nunca mais Portugal teve alguém em destaque e, também, poucas vezes incluiu a prova nos seus interesses competitivos.

Prémios monetários atractivos em Valência

Para esta prova, que se realiza de dois em dois anos, alternando com o mundial de corta-mato, a IAAF deu a conhecer os prémios que atribuirá nesta competição, num total de 245 mil dólares, sendo que, individualmente, em cada sexo, o vencedor (a) receberá 30 mil dólares, o segundo (a), 15 mil, depois 10 mil, 7000, 5000 e 3000 ao sexto.

Também as seis primeiras nações receberão prémios: 15000, 12000, 9000, 7500, 6000, 3000.

Claro que os recordes mundiais também serão alvo de um prémio especial, 50 mil dólares, caso sejam batidos: o masculino pertence a Zersenay Tadese, da Eritreia (58.23), e o feminino (em prova só com mulheres) pertence à queniana Lornah Kiplagat (1:06.25).

Em todo o caso, os atletas e as equipas, só receberão estes prémios depois de finalizados todos os procedimentos do controlo de doping.

Quénia feminino desfalcado

A formação do Quénia, em femininos, sofreu um rude golpe esta semana, com a desistência de participação das melhores segunda e terceira quenianas, Fancy Chemutai e Mary Wacera, comunicada na passada quarta-feira, que impossibilitou a sua federação de as substituir neste Mundial de Valência, e assim a representação queniana fica nas mãos da recordista mundial em provas mistas, Joyciline Jepkosgei, que venceu a meia de Valência no ano passado, com 1:04.51, e que é a grande favorita para se sagrar campeã mundial e bater o recorde de Lornah Kiplagat que já fará 11 anos!

As duas outras representantes do Quénia serão Ruth Chepngetich, que esteve para participar na meia de Lisboa, mas a sua selecção para este mundial inviabilizou a sua presença, e a menos conhecida Pauline Kamulu.

Assim, nenhuma atleta queniana está “autorizada” a desistir, para que se possa cumprir a tradição, que se verifica desde 2006, com o Quénia, a Etiópia e o Japão a subirem ao pódio, consecutivamente. Quénia (vencedor nas duas últimas edições) e Etiópia a alternarem nos dois primeiros lugares, e o Japão sempre em terceiro!

Mas, este ano, as contas podem ser diferentes, já que o Bahrain apresentará quatro mulheres que já correram abaixo de 1:09, sendo Eunice Chumba a sua melhor atleta, ela que venceu em Copenhaga, em Setembro passado, em 1:06.11.

Depois há as etíopes, com Netsanet Gudeta (1:07.26) à cabeça.

Um bi-campeão a defender o título

No sector masculino, um nome a ter em conta em Valência é o do queniano Geoffrey Kamworor, que venceu as duas últimas edições da prova, mostrando que não é o detentor da marca mais rápida que chega ao título. No entanto, Kamworor é o detentor do recorde dos campeonatos dom 58.54 e pode bem lutar para melhorar, mas existem outros nomes em liça, como o etíope Jemal Yimer, que se estreou com 59.00 no mês passado na prova de Ras Al Khaimah, ou o jovem queniano Jorum Okombo, com 59.36 também na meia de RAK.

Depois há que ter em conta Abraham Cheroben (58.40), do Bahrain, e ainda dos Estados Unidos surge Leonard Korir (59.52), que afirmou estar em Valência para lutar pelas medalhas.

As provas serão no sábado, às 16.05 (mulheres) e 16.30 (homens), sendo a partida da prova aberta às 16.40 horas.
Deixamos aqui três endereços de “streaming” que poderão ser utilizados para ver a prova (alguns poderá estar bloqueados por localização).

Link 1

Link 2

Link 3