Sete mil mulheres correm pela luta contra o cancro

Apoio à Corrida (foto de Marcelino Almeida)

Decorreu ontem numa unidade hoteleira em Lisboa a apresentação da 13ª edição da Corrida EDP Lisboa, a Mulher e a Vida, um evento solidário, que já doou mais de 700.000 euros à Liga Portuguesa contra o Cancro.

A prova de cinco quilómetros, a disputar em 20 de maio junto ao rio Tejo (entre Alcântara e Belém), em Lisboa, conta já com 7.000 inscrições, entre anónimas e algumas atletas da elite nacional e internacional.

Para além de atletas como Dulce Félix, Vanessa Fernandes, Silvana Dias, Doroteia Peixoto, Joana Costa, Melanie Santos e Sandra Teixeira, a par de algumas outras atletas internacionais, como a queniana Brigid Kosgei, segunda classificada na maratona de Lisboa em 20106 e Eunice Chumba, do Bahrein, que foi quarta classificada no mundial de meia-maratona, estarão as milhares de participantes muitas figuras públicas que vão percorrer este belíssimo percurso ribeirinho, destacando-se entre elas Rosa Mota, Adelaide de Sousa, Carla Andrino, Mónica Sintra, Nucha, Paula Marcelo e Cristina Caras Lindas.

Um convite à solidariedade e prática desportiva

Carlos Móia apresenta a prova

Sob o lema “Correr, Marchar ou Caminhar por uma Causa” estas figuras públicas de várias áreas da sociedade portuguesa juntam-se com o objetivo principal de angariação de fundos para a compra de aparelhos de rastreio do cancro da mama.

Carlos Móia, presidente do Maratona, destacou na apresentação da prova, a importância do evento na “sensibilização das pessoas para a necessidade de fazerem rastreios regulares” considerando o cancro “um problema de saúde pública”.

Em representação da Liga Portuguesa da Luta contra o Cancro, Sofia Abreu enalteceu o caráter da prova e a sua capacidade de “pôr milhares de pessoas a pensarem e falarem sobre o assunto”.

Sónia Paixão, da Câmara Municipal de Lisboa, órgão que apoia o evento, deixou um desafio aos organizadores: “Nos próximos anos podem pensar em abrir a prova a participantes masculinos”.

O testemunho de Carla Adrino

Carla Andrino

E, entre as figuras públicas, Carla Andrino acabou por aceitar o desafio de falar sobre a sua experiência pessoal na luta contra o cancro, num discurso carregado de sentido e de força para quem está a passar ou passará pela situação, como ela própria, recordando acima de tudo, duas frases que o médico lhe disse quando enfrentou o diagnóstico: “metade do trabalho na luta contra o cancro está na sua cabeça, e aí eu senti que essa metade já estava comigo, em força para ultrapassar o problema. A outra frase foi ‘deve olhar para a doença como olha o mar’, e eu fiquei sem perceber de imediato, mas a explicação veio depois, ‘olhar com muito respeito, mas sem medo’. Por isso, agora, quando a brincar me dizem que tratei o cancro por tu, eu digo nem pensar, não quero cá intimidades. Muito respeito e sem medo de estar pronta para prevenção”.

Pioneira no âmbito da solidariedade e na luta contra o cancro

Em 2006, a histórica zona ribeirinha de Lisboa recebia a estreia de uma corrida de 5 km exclusivamente feminina, a EDP LISBOA, A MULHER E A VIDA. Nessa altura, o turismo na capital não era tão acentuado, não se verificava um afluxo de trânsito tão pronunciado, e o número de mulheres que participavam em provas de estrada estava muito aquém dos 10% do número de participantes.

Ainda assim, nessa primeira edição, cinco mil mulheres fizeram daquela zona um local de enorme festa e prática desportiva.

Hoje, as corridas em Portugal já apresentam percentagens de participação feminina bem superiores a 20%, e a sua regular prática desportiva e de exercício físico tornou-se uma realidade.

Não há dúvidas que, quando se escrever a história da corrida em Portugal, esta competição será conotada como um marco na sua evolução.

Também, e com enorme orgulho o Maratona Clube de Portugal o refere, esta prova foi pioneira no âmbito da solidariedade e na luta contra o cancro, ajudando, com humildade e convicção, a dotar com os melhores meios os soldados desta guerra contra a doença.

Ao longo dos anos, os milhares de corredoras anónimas que têm participado nesta corrida de 5 km, foram os alicerces de um movimento de luta que importa realçar.

Mas, não só esses milhares de corredoras sempre deram o seu contributo para a causa, como também as corredoras de elite deram a cara nesta luta e souberam chamar a atenção da melhor forma que o sabem fazer, a correr e a vencer, dando essa mensagem a quem continua a lutar contra a doença, de perseverança e de convicção na vitória.

Corredoras de elite

Este ano, no capítulo desportivo, destaque para a queniana Brigid Kosgei, segunda na Maratona de Lisboa em 2016, e ainda para Eunice Chumba, do Bahrain, quarta classificada no Mundial de Meia Maratona, realizado este ano em Valência, para a marroquina Boulaid KAOUTAR e para a nelga Imana TRUYERS. Num cariz mais ibérico, destaque para a recentemente coroada campeã de Espanha de 10 km, Azucena Diaz e para a sua compatriota Elena MENOYO.

Portugal estará bem representado com Dulce Félix, (que esteve ausente das competições para ser mãe, regressando há poucas semanas às corridas), Vanessa FERNANDES, Doroteia PEIXOTO, Silvana DIAS, Melanie SANTOS, Cláudia PEREIRA, Joana Costa e Sandra TEIXEIRA.

Mais de 715 mil euros entregues à Liga Portuguesa Contra o Cancro

As dez anteriores edições do evento foram de facto um sucesso e contaram com a participação de milhares de Mulheres. Em termos de valores totais angariados, foram já entregues € 715,287,00 (seiscentos e oitenta e um e trezentos e noventa e sete euros) à Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Transmissão directa na RTP1

O evento será mais uma vez transmitido em directo, pelas 10.30h, na RTP1 e conta com o apoio de inúmeras figuras públicas, dos mais variados quadrantes da sociedade portuguesa, do desporto à cultura, da política ao social, que fizeram questão em se associar a este projeto marcando presença neste grande evento, com partida em Santos e meta junto à Torre de Belém.

Todas as participantes receberão uma t-shirt OYSHO, alusiva à edição deste ano e haverá lembranças para todas as participantes: t-shirts, medalhas no final e prémios para as equipas vencedoras dos prémios “Mãe e Filha Vodafone”, “Mimosa Avó e Neta”, “Amigas OYSHO”, e “2 Colegas de Empresa Jogos Santa Casa”.

Também em 2018 vamos transmitir alegria, coragem, e até esperança… a quem luta directa ou indirectamente pela vida, contra o cancro da mama.

Emanuel está de volta

No palco da partida, às 10:00h da manhã, o cantor Emanuel e as suas bailarinas irão proporcionar animação durante o período de aquecimento, antes do tiro de Partida.

 

As corredoras da elite:

Brigid KOSGEI (QUÉNIA) – Data nasc.: 20.02.94
Rec. Pessoal: 10 k: 32.07
– Segunda na Maratona de Chicago (2017)
– 2ª na Maratona de Lisboa (2016)
– Vencedora Meia Maratona de Seoul (2016)

Eunice CHUMBA (BARHAIN) – Data nasc.: 23.05.93
Rec. Pessoal: 10km: 32.34
– Segunda Maratona de Roterdão (2017)
– 4ª no Mundial de Meia Maratona Valência 2018
– 3ª. na Maratona de Amesterdão 2016

Azucena DIAZ (ESPANHA) – Data nasc.: 19 .12.82
Rec. Pessoal: 5.000 m: 16.24.90; 10.000 m: 33.03.36
– Campeã de Espanha de Estrada 10 km (2018)
– Terceira no Nacional de Cross 18
– 8ª na Maratona de Berlim 2017
– Campeã de Espanha de Meia Maratona (2013 e 2014)

Elena LOYO MENOYO (ESPANHA) – Data nasc.: 11.01.83
Rec. Pessoal: 5.000 m: 16.18.86
– 6ª na Maratona de Milão 2018
– 2ª no Nacional de Meia Maratona de 2018
– 7ª nos 5.000 m C. Espanha 2017

Boulaid KAOUTAR (MARROCOS) – Data nasc.: 10.10.89
Rec. Pessoal: 10 km: 32.39
– Vencedora da Maratona de Sevilha 2018
– Vencedora da Meia Maratona de Madrid 2017

Imana TRUYERS (BÉLGICA) – Data nasc.: 07.11.93
Rec. Pessoal: 5.000m: 15.59.93
– Vencedora do Cross de Bruxelas 2018
– Campeã da Bélgica de 1500 m 2017

Dulce FÉLIX (PORTUGAL / SL Benfica) – Data nasc.: 23/07/82
Rec. Pessoal: 5 km: 15.28 (11) – RN; 10km: 32.16 (14)
– Campeã europeia de 10000 m em 2012, vice-campeã em 2016
– Vice-campeã europeia de corta-mato em 2011 e 2012 (3ª em 2010)
– Campeã de Portugal de estrada em 2011, 2012, 2014 e 2015
– 5º na Corrida do Benfica 2018

Silvana DIAS (PORTUGAL / SL Benfica) – Data nasc.: 05/06/1994
Rec. Pessoal: 5km: 16.45 (17); 10 km: 35.10 (15)
– Internacional portuguesa em corta-mato (júnior, 2013)
– 4ª na Corrida da Mulher 2017

Vanessa FERNANDES (PORTUGAL / SL Benfica) – Data nasc.: 14/09/85
Rec. Pessoal: 10km – 32.11 (15)
– Medalha de prata no triatlo nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008;
– Internacional portuguesa em corta-mato em 2010
– 8ª na Corrida da Mulher 2015

Doroteia PEIXOTO (PORTUGAL / A. Montanha) – Data nasc.: 23/10/1982
Rec. Pessoal: 5 km: 16.59 (15); 10 km: 33.49 (13)
– 2ª Meia Maratona de Viana do castelo 2016 (3ª em 2018)
– 5ª na Maratona de Sevilha (2016)
– 11ª na Meia Maratona de Lisboa 2018
– 9ª na Corrida da Mulher 2017

Joana COSTA (PORTUGAL / SC Braga) – Data nasc.: 12.05.1988
Rec. Pessoal: 10 km: 34.24 (2015)
– 7ª no nacional de Estrada 2015
– 14ª na Corrida da Mulher 2017

MELANIE SANTOS (PORTUGAL / SL Benfica) – Data nasc.: 12/07/95
Rec. Pessoal: 10 km: 36.06 (15)
– Campeã da Europa sub23 2015 de triatlo
– Bronze no campeonato do mundo sub 23 de triatlo
– 2ª na Taça da Europa de triatlo de Quarteira (2018)

Cláudia PEREIRA (PORTUGAL / GFD) – Data nasc.: 20/02/1976
Rec. Pessoal: 5.000 m: 15.40,58 (01); 10.000 m: 33:10.12 (14)
– 25ª na Meia Maratona de Lisboa 2017
– 5ª Corrida da Mulher Lisboa 2014
– 13ª na Corrida da Mulher 2017

Sandra TEIXEIRA (PORTUGAL / Sporting CP) – Data nasc.: 13/03/1978
Rec. Pessoal: 5 km: 17.06,77 (17); 10 km: 34.38 (10)
– Medalha de bronze nos Iberoamericanos
– 12 vezes campeã nacional ao ar livre
– 10 vezes campeã nacional de pista coberta
– 10ª na Corrida da Mulher 2017