Évora e Pichardo defrontam-se na Liga Diamante

O pódio de 2015 do triplo volta a defrontar-se em Doha

Nelson Évora e Pedro Pablo Pichardo reencontram-se de novo em Doha, cidade que acolhe o primeiro dos 14 meetings da Liga Diamante no dia de amanhã (4 de maio). O último embate entre o sportinguista e o benfiquista aconteceu no nacional de clubes de pista coberta, em Pombal, onde Pichardo venceu com 17,19 m e Évora saltou 17,06.

Antes defrontaram-se no meeting de Madrid em pista coberta (8 de fevereiro), onde Évora fez a sua melhor marca (e recorde de Portugal de pista coberta) e Pichardo saltou 17,01, sendo ambos surpreendidos pelo brasileiro Almir dos Santos (17.35).

Ambos são das estrelas em destaque numa competição que reunirá 17 campeões mundiais e olímpicos (um excelso grupo de que Nelson Évora faz parte por duplo mérito, campeão Olímpico e Mundial!), que inicia o “assalto” a um bolo total de 8 milhões de dólares (a ser distribuído nos meetings e nas finais), em novos moldes de qualificação, tornando-se as duas finais (Bruxelas e Zurique) um autêntico campeonato, já que os 12 meetings anteriores servem de apuramento para essa fase, em que os vencedores de cada prova auferem 50 mil dólares!

Pódio de 2015 em Doha

Mas, voltemos a Doha, e à prova de triplo-salto, que terá a presença dos dois portugueses (embora o luso-cubano Pichardo ainda não possa competir sob a bandeira portuguesa) e ainda do pluri-campeão olímpico e mundial Christian Taylor, um trio que completou o pódio nos Mundiais de 2015 (Pequim).

Évora (17,30 em pista coberta esta época) e Pichardo (17,19 em pista coberta) ainda não abriram a época ao ar livre, enquanto Taylor (que disse que este ano só faria triplo na liga diamante) já competiu “fora de telha” e saltou 17,15.

Para além deste trio, estarão presentes, Max Hess, da Alemanha, campeão Europeu, Bin Dong, da China, campeão Mundial de Pista Coberta em 2016 e Bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, Alexis Copello, do Azerbeijão, medalha de bronze nos Mundiais de Pista Coberta em 2009, Godfrey Mokoena, da África do Sul, vice-campeão olímpico em 2008 e campeão do mundo em pista coberta nesse mesmo ano, mas em comprimento.

As estrelas do Qatar…

Mas, para além do trilo-salto, este Meeting terá muitos e variados despiques, com o salto em altura masculino, como habitualmente, a ser um motivo de destaque, com a presença do campeão mundial Mutaz Essa Barshim, do Qatar, o segundo melhor saltador de sempre (2,43), que defrontará outro dos poucos que já saltaram 2,40 na sua carreira, o ucraniano Andryi Protsenko (2,40) e a estrela da Síria, Majd Eddin Ghazal (2,36), bronze no Mundial do ano passado.

Outra prova muito esperada será a dos 400 m barreiras, em que estará outra estrela qatari, Abderrahmane Samba (47,90), o melhor atleta no mundo, esta época, que terá pela frente o campeão olímpico Kerron Clement, que ainda não correu a distância esta temporada.

Barreiras femininas também em destaque

Mais provas se podem destacar, como a dos 100 m barreiras, que junta a recordista mundial Kendra Harrison (12,20), com as campeãs olímpicos Brianna McNeal (antes Rollins) e Dawn Harper-Nelson (que já admitiu sair da alta competição no final desta época); os 1500 m femininos, que junta a campeã mundial em 2013, Eunice Sum, e a controversa Caster Semenya, acabadinha de vencer os Jogos da Comunidade Britânica; o lançamento do dardo, que no ano passado atingiu um nível enorme, com o alemão Thomas Roller a lançar 93,90 metros e o seu compatriota Johannes Veter a lançar 89,68 (viria depois a lançar 94,44 em Luzerna, na Suíça, em Julho), com os dois a marcarem presença em Doha, de novo; e os 200 metros masculinos, com a presença dos candidatos a estrelas da velocidade na era “pós-Bolt”, nomeadamente o canadiano Andre de Grasse, recuperado de lesão, o jamaicano Rasheed Dwyer, o jovem norte-americano Noah Lyles ou o turco Ramil Guliyev.

Mas haverá ainda mais provas, todas com cartazes de luxo, que nos deixarão pregados nos nossos lugares a assistir ao desenrolar do meeting, que poderá ser seguido em directo na Sport Tv 5, a partir das 17 horas, onde estaremos a comentar.