Os mínimos no Gold Gala Fernanda Ribeiro

Catarina Ribeiro e Inês Monteiro

Cumpriram-se algumas promessas da organização do Gold Gala Fernanda Ribeiro, com duas boas provas de 10.000 metros, como se pretendia. Infelizmente, apenas na prova feminina (mas ainda bem para honrar os feitos de Fernanda Ribeiro), surgiram os resultados mais prestigiosos as atletas portuguesas, com as sportinguistas Inês Monteiro (32.20,72) e Catarina Ribeiro (32.21,19), a terminarem em terceiro e quarto lugares, obtendo as marcas de qualificação (A) para o Europeu de Berli, Bom aproveitamento de uma prova que teve como vencedora a queniana Glore Kite (31.41,47).

Como poucos portugueses apostam nos 10.000 metros, a prova foi aproveitada pelos corredores estrangeiros, e o melhor foi Hassan Chani, do Bahrain, que terminou a corrida em 27.38,16, com o melhor português a ser o atleta do maia AC, Carlos Rodrigues, com distantes 30.56,59 minutos.

Mas a prova conheceu um nível alto, com seis atletas a correrem abaixo de 28 minutos! Um comboio como há muito não se via em Portugal, pois para além do vencedor, baixaram essa marca o etíope Yeneblo Bizayen (27.43,65), o eritreu Awet Habte (27.48,35), o queniano do Sporting, Davis Kiplangat (27.51,20), que venceu a Taça dos Clubes Campeões Europeus em Mira, este ano, o ugandês Moses Kibet (27.56,12) e o turco Polat Arikan (27.56,53).

Essa foi a última prova de um programa que trouxe um excelente resultado para o benfiquista André Pereira, que venceu os 3000 m obstáculos em 8.39,19, obtendo os mínimos B para Berlim, derrotando Fernando Serrão, do Sporting, que fez a sua melhor marca com 8.48,28.

André Pereira

Juniores também com mínimos

Também a prova de 800 metros femininos “deu” mínimos, no caso para o mundial de juniores, com as jovens Patrícia Silva, do Benfica, vencedora em 2.06,45), e Mariana Machado, do SC Braga, com 2.06,97, em grande destaque.

Nos 1500 metros masculinos, para continuarmos no meio-fundo, triunfo de Lorenç Sales, de Espanha, em 3.41,73, com o melhor português a ser Paulo Rosário, do Sporting, quarto em 3.42,90, e com o benfiquista Isaac Nader a ser 8º com 3.48,08, ficando a oito centésimos dos mínimos para o mundial de juniores.

As outras provas

Nas restantes provas, Tsanko Arnaudov, Benfica, venceu o peso em 19,79; no salto em comprimento, os benfiquistas Ivo Tavares e Tiago Pereira saltaram ambos 7,47 m; no triplo, Susana Costa, da Academia Fernanda Ribeiro, regressou à competição com um salto de 13,50 m, derrotando Shaina Mags (13,20); no salto em altura, a sportinguista Anabela Neto saltou 1,84, ficando a um centímetro do seu recorde pessoal; e nos 100 metros femininos, a brasileira do Benfica, Tamiris de Liz, correu a distância em 11,83 segundos (-1,0).

Na mesma distância, mas nos homens, o vencedor foi Carlos Nascimento, do Sporting, com 10,48 (a sua melhor marca do ano), derrotando Eduardo Sá, do SC Braga (10,86) e João Esteves, do Benfica (10,87).

Nas meias-finais, Carlos Nascimento correu em 10,52, Eduardo Sá em 10,82 e noutra série o vencedor foi Pedro Bernardo, do Vidigalense, com 10,74, mas depois não foi à final.