Xterra Portugal passou na Golegã

Rui Dolores

 

A Golegã recebeu ontem uma prova do circuito europeu do Xterra 2018, uma exigente prova de Triatlo Cross, com Rui Dolores a classificar-se na 3ª posição com a marca de 02:36:22, conquistando também o título de Campeão Nacional de Triatlo Cross.

A prova do XTerra Portugal serviu de apuramento para o XTerra World Championship e juntou centenas de triatletas de 20 nacionalidades ao longo de 1,5km de natação, 33km de ciclismo e 10km de corrida. Disputada no formato Standard, a competição pautou-se pela dificuldade técnica do segmento de ciclismo.

«Já conhecia bem o percurso, que é duro, mas a prova correu-me bem», conta Rui Dolores que no ano passado ficou em 5º do ranking europeu. O triatleta português acabou por se magoar na passada quinta feira num treino local, ficando até à última hora sem saber se conseguia comparticipar na competição. «Hoje acordei melhor, consegui sair da natação com o Ruben Ruzafa (que acabou por vencer) e fazer o ciclismo com o segundo atleta. Depois na corrida o segundo classificado correu um bocadinho mais do que eu». A competição internacional acabou sair bem ao nosso triatleta, que apesar da limitação num pé conseguiu alcançar o terceiro lugar. Sendo o melhor português em prova, Rui Dolores conquista também o título de Campeão Nacional Individual de Triatlo Cross 2018.

O primeiro lugar no pódio pertenceu ao triatleta espanhol Ruben Ruzafa, com a marca de 02:27:02, que já foi 3 vezes campeão do mundo de XTerra.

José Estrangeiro em sexto

José Estrangeiro ficou na 6ª posição, um excelente resultado tendo em conta que o foco do triatleta é a distância completa do triatlo, uma prova que irá realizar-se no dia 15 de agosto. José Estrangeiro, que participou nesta competição para quebrar a rotina habitual dos treinos, fê-lo com três objetivos: não torcer um pé, não cair de bicicleta e melhorar a posição de 2016. «Cumpri apenas um que foi não torcer um pé, porque fiquei com a mesma classificação e sofri uma queda de bicicleta!»

Apesar de tudo, o triatleta gostou muito de participar nesta prova, com três segmentos equilibrados, a começar por um percurso bem conseguido da natação. «Na primeira parte do ciclismo fui muito bem, um percurso divertido, exigente q.b., técnico, com subidas e single tracks e com uma parte final mais rolante. A parte da bicicleta tem muitas pedras soltas e areia, mas acaba por ser engraçada de fazer!» José Estrangeiro refere que há sempre público a aplaudir nas transições e mesmo em alguns trilhos «porque as pessoas que conhecem a região vão apoiar nos sítios mais recônditos»!

Pauline Vie campeã nacional

Pauline Vie, que ficou na sétima posição com 3:34:14, alcançou o título de Campeã Nacional de Triatlo Cross, posição que melhorou em relação ao ano anterior, altura em que tinha sido a segunda portuguesa a cortar a meta.

«A prova correu bem, como é uma partida mista, na natação ‘levei muita pancada’, mas faz parte. O ciclismo é muito técnico com subidas e descidas, com pedra solta e areia e na corrida estava já cansada, mas correu melhor do que esperava. Conquistei o título nacional e estou muito satisfeita,» remata a triatleta.

Brigitta Poór da Hugria foi a primeira mulher a cortar a meta.

Informações gerais sobre o XTerra Portugal

• O Xterra Portugal é uma prova de Triatlo Cross que inclui um segmento de natação, um segmento de ciclismo em trilhos técnicos e um segmento de corrida.
• A prova contou com 200 participantes, de 20 nacionalidades diferentes, em que 15% são mulheres e 50% são portugueses.
Esta competição serviu de apuramento para o Campeonato do Mundo de XTerra, para o apuramento do Campeonato Nacional individual e conta para o Campeonato Nacional de Clubes.
• Os portugueses que ganharam ficam com o título de campeões nacionais de triatlo cross – Pauline Vie e Rui Dolores.
Informações em www.xterra-portugal.com

 

Fonte (texto e foto): comunicação da Federação de Tiratlo de Portugal