Evelise Veiga e Frederico Curvelo e Edna Barros em destaque no Campeonato do Mediterrâneo Sub23

Evelise Veiga (arquivo)

 

Jesolo, na Itália, recebe os Campeonatos do Mediterrâneo para atletas sub23, onde Portugal fez deslocar uma comitiva de 14 atletas. No primeiro dia de prova há razões para contentamento: três medalhas (uma de cada metal) e uma marca espectacular nos 100 m

A primeira medalha surgiu no salto em comprimento, por intermédio de Evelise Veiga, que saltou 6,26 m, apesar do vento contra (v:-0,9), derrotando a espanhola Fatima Diame (6,15), num bom despique entre ambas, que alternaram no comando do concurso.

Mais um bom resultado da segunda melhor saltadora portuguesa de sempre.

Brutal resultado de Frederico Curvelo e medalha de prata

O primeiro resultado mais retumbante surgiu nos 100 m masculinos, com Frederico Curvelo a vencer a meia-final com a marca de 10,37 (+1,4), um recorde pessoal melhorado em quase dois décimos (tinha 10,54), e que o levou à lista dos 15 melhores portugueses de sempre.

Com esta marca o jovem Frederico tornou-se o mais rápido da família! Já tinha “ultrapassado” o pai, Paulo Curvelo (10,71, em 1986, mas que foi melhor nos 400 metros), e agora ultrapassou o seu tio, Pedro Curvelo (10,52, em 1989)!

Uma hora e 55 minutos depois, Frederico Curvelo correu a final dos 100 metros e voltou a fazer a mesma marca de 10,37 (!), agora com vento +1,1 m/s, sendo segundo classificado atrás do francês Amaury Golitin (10.07), que bateu o recorde da competição e fez recorde pessoal (tinha 10,35)!

Medalha de bronze para Edna Barros

A única disciplina em que os portugueses tinham três representantes (todas algarvias!), os 10.000 metros marcha, regista-se nova medalha para Portugal, agora de bronze, por intermédio de Edna Barros, que cortou a meta em 46:05.42, sendo batida pela  espanhola Lidia Sanchez-Puebla (45:13.73) e pela tunisina Chahinez Nasri (45:50.19). 

Quando se realizou esta prova (antes da final dos 100 m masculinos), registava-se uma temperatura de cerca de 30 graus. Ainda na prova, Laura Leal foi oitava (49:08.82) e Carolina Costa foi nona (51:19.63).

Outros portugueses

No lançamento do martelo, verificou-se o triunfo do francês Yann Chaussinand (68,93), com o português Décio Andrade a classificar-se no quinto posto, com a marca de 62,62 metros.

Já no salto em comprimento, Ivo Tavares foi sétimo classificado, graça ao seu primeiro salto de 7,62 metros (v:+0,5), ficando a dois centímetros do seu melhor deste ano. Fez ainda mais dois saltos nulos e depois fez 7,54, 7,58 e 7,49, smepre com vento regulamentar. O vencedor foi o italiano Filippo Randazzo (7,88), que viu o seu compatriota Gabriele Chila saltar 7,82 no último ensaio, ultrapassando o espanhol Daniel Solis (7,81)!

Nos 100 m femininos, Rosalina Santos foi quinta na sua série com 11,76 (v: +1,5), e ficou a um centésimo de ser apurada para a final.