Taylor supera portugueses e Chepkoech bate recorde mundial no Meeting do Mónaco

Beatrice Chepkoech

O norte-americano Christian Taylor voltou a derrotar os portugueses Pedro Pichardo e Nelson Évora, que conheceram desfechos distintos no meeting do Mónaco, um dos melhores de sempre da Liga Diamante, marcado pelo recorde do Mundo dos 3000 metros obstáculos femininos, por Beatrice Chepkoech…

Taylor, cujo objectivo para esta época é correr os 400 metros abaixo de 45 segundos e saltar 18 metros no triplo, um feito inédito na história do atletismo, esteve sempre melhor que Pichardo e fez uma série impressionante acima dos 17,50 metros: 17,60 m, 17,86 m (este com vento +2,1), 17,50 m, 17,66 m, prescindiu do quinto salto, e fez de novo 17,66 metros no último salto, quando já era vencedor.

Já o benfiquista Pichardo começou mais baixo (17,28 m), saltou 17,60 m e conseguiu o seu melhor, 17,67 m(com vento +2,4 m/s), e ao quarto ensaio fez 16,72 m. Prescindiu do quinto ensaio e fez nulo no último. Terminou na segunda posição.

Longe deles, Nelson Évora teve uma noite infeliz. O sportinguista fez dois saltos nulos antes de saltar 16,24 metros (vento +1,9 m/s) ao terceiro ensaio. Prescindiu do quarto ensaio, fez nulo no quinto e já não saltou mais. Terminou em oitavo lugar.

O recorde mundial nos 3000 metros obstáculos no Meeting do Mónaco

Noutro lado na pista do Estádio Luís II, uma atleta queniana não parava os saltos. Beatrice Chepkoech tinha acabado de correr os 3000 metros obstáculos com um recorde mundial de 8.44,32 minutos. Numa corrida praticamente solitária, a queniana aproveitou a passagem ao primeiro quilómetro em 2.55,23 minutos, e ficou sozinha na frente, passando aos 2000 metros em 5.49,81, vendo que o recorde do Mundo estava ao seu alcance! E foi o que sucedeu! Na segunda vez que correu abaixo de nove minutos (a primeira vez sucedeu este ano em Paris, a 30 de junho, quando terminou em 8.59,36), Chepkoech tira mais de oito segundos ao anterior recorde, 8.52,78, que pertencia a Ruth Jebet, do Bahrain, desde 2016 (Jebet que está suspensa por doping)!

Refira-se, a propósito, que este recorde é contabilizado desde 2001, ano em que a disciplina foi reconhecida para as mulheres, sendo o primeiro recorde de 9.25,31. Com esta marca de Chepkoech já evoluiu 42 segundos.

Evolução do recorde mundial dos 3000 m obstáculos femininos

9:25.31 Justyna Bak (POL) Nice 09-07-2001
9:22.29 Justyna Bak (POL) Milan 05-06-2002
9:21.72 Alesya Turova (BLR) Ostrava 12-06-2002
9:16.51 Alesya Turova (BLR) Gdańsk 27-07-2002
9:08.33 Gulnara Samitova (RUS) Tula 10-08-2003
9:01.59 Gulnara Samitova (RUS) Iraklio 04-07-2004
8:58.81 Gulnara Samitova-Galkina (RUS) Beijing 17-08-2008
8:52.78 Ruth Jebet (BHR) Paris 27-08-2016
8:44.32 Beatrice Chepkoech (KEN) Monaco 20-07-2018

Outros resultados muito significativos

Uma das melhores provas aconteceu nos 1500 metros, com triunfo do queniano Timothy Cheruyiot em 3:28,41 m (melhor marca mundial do ano) à frente de Elijah Manangoi (3.29.64) e dos irmãos Ingebritsen, Filip, com 3.30,01 (recorde da Noruega), e Jakob (17 anos!), com 3.31,18, recorde da Europa de juniores!

Mas houve mais resultados de monta, como as melhores marcas mundiais do ano no salto em altura, 2,40 metros, pelo russo Danil Lysenko, que é o 12º de sempre a passar esta “barreira”; nos 400 metros femininos, com Shaunae Miller-Uibo a fazer 48,97 segundos (recorde das Bahamas) a impor a primeira derrota a Salwa Edi Naser, do Bahrain, que fez um recorde asiático (49,08); o triunfo Nigel Amos, do Botswana, nos 800 metros (1.42,14 minutos), prova em que os cinco primeiros correram abaixo de um minutos e 44 segundos; os 19,65 segundos (v:+0,9 m/s) do americano Noah Lyles, nos 200 metros; e a performance do marroquino Soufiane El Bakkali nos 3000 metros obstáculos (7:58,15 minutos).

Resumindo, houve um recorde do Mundo, quatro recordes continentais, sete melhores marcas mundiais do ano, dois recordes da Liga Diamante, seis recordes do meeting e 14 recordes nacionais!