Sporting feminino sem rival consegue 23º título em 24 anos no nacional de clubes

I Divisão (foto FPA)

O Sporting revalidou o seu título de campeão nacional de clubes da I Divisão feminina, obtendo o seu oitavo título consecutivo, o 23º nos últimos 24 anos! Hegemonia leonina que apenas perdeu o título em 2010, quando o F.C. Porto venceu o seu único título, antes de terminar com a secção de atletismo no clube.

No segundo dia de prova, as leoas apenas perderam as provas de 3000 metros e salto com vara para o Benfica. Se a primeira não surpreende, porque Marta Pen é naturalmente mais forte que Carla Salomé Rocha, a segunda surgiu com o nulo na vara de Marta Onofre, que esteve muitas horas à espera de competir, e quando Beatriz Batista, do Benfica, ficou com 3,45 metros, foi tempo de ela começar. Mas falhou todas as tentativas!

Felizmente, todas as outras provas foram favoráveis às leoas, com Patrícia Mamona a destacar-se, saltando 14,19 metros, exatamente a mesma marca do que fez em Soteville, no decorrer da semana.

Em declarações à agência Lusa, a recordista nacional afirmou ter começado “bem, com um salto que praticamente me garantiu a vitória. Depois, tentei competir mais pessoalmente, para conseguir uma boa marca, a melhor do ano se fosse possível. Igualei-a, mas o objetivo era os 14,20. Ainda assim, senti confiança para estar bem nos Europeus.

Ao pódio subiram o Benfica e o Vidigalense, mas as águias foram segundas por terem mais triunfos.

Satisfação repartida

No final da competição, o diretor técnico do Sporting, Carlos Silva mostrou-se “orgulhoso” pela prestação das atletas que conquistaram o título nacional feminino, pela 48.ª vez na história do clube.

“Estiveram iguais a si próprias, e, mesmo havendo uma ou outra situação menos positiva, estamos, no geral, muito contentes e orgulhosos com o seu desempenho e com a conquista de mais este título”, analisou o responsável dos ‘leões’ à agência Lusa.

Igualmente no final da competição, sobre a prestação da equipa feminina, que terminou com um segundo lugar, atrás do Sporting, a coordenadora do Benfica considerou que “teve sabor a vitória”.

“O objetivo era o pódio. Estamos conscientes que o trabalho não tem sido fácil, mas tem sido meritório, até pelo grande empenho que vemos no nosso setor de formação”, analisou, depois de ter realçado que a maioria da equipa pertence à formação, sendo atletas juniores e juvenis.

 

I Divisão feminina

200 m (v: +1.7 m/s): 1.ª, Lorene Bazolo (SCP), 23.60; 2.ª, Cátia Santos (GDE), 24.92; 3.ª, Joana Carlos (JV), 25.07.
800 m: 1.ª, Salomé Afonso (SCP), 2:08.64; 2.ª, Joceline Monteiro (JV), 2:08.92; 3.ª, Patrícia Silva (SLB), 2:09.12.
3000 m: 1.ª, Marta Pen Freitas (SLB), 9:10.29; 2.ª, Carla Salomé Rocha (SCP), 9:30.48; 3.ª, Cátia Santos (GDE), 9:52.20.
100 m barreiras (v: +0.5 m/s): 1.ª, Olímpia Barbosa (SCP), 13.80; 2.ª, Marisa Vaz Carvalho (SLB), 14.07; 3.ª, Raquel Lourenco (JV), 14.35.
400 m barreiras: 1.ª, Andreia Crespo (SCP), 58.96; 2.ª, Tânia Freitas (GDE), 62.09; 3.ª, Vera Lima (GRECAS), 1:03.88.
Vara: 1.ª, Beatriz Baptista (SLB), 3.45; 2.ª, Andreia Grácio (JV), 3.25; 3.º, Joana Pinto (AJS), 3.15.
Triplo: 1.º, Patrícia Mamona (SCP), 14,19 (+0.3); 2.ª, Shaina Mags (SCB), 13.37 (+0.6); 3.ª, Juliana Brites (JV), 11.97 (+0.6).
Peso: 1.ª, Jessica Inchude (SCP), 16,45; 2.ª, Eliana Bandeira (JV), 15,35; 3.ª, Antónia Borges (GDE), 13,83.
Dardo: 1.ª, Jessica Barreira (SCP), 45,40; 2.ª, Marlene Araújo (SCB), 41,17; 3.ª, Sara Firmino (SLB), 40,09.
4X400 m: 1.º, Sporting C P, 3:35.95; 2.º, J. Vidigalense, 3:51.76; 3.º, S L Benfica, 3:58.38.
Classificação colectiva: 1.º, Sporting CP, 156; 2.º, SL Benfica, 113; 3.º, J. Vidigalense, 113; 4.º, SC Braga, 96; 5.º, Jardim da Serra, 84; 6.º, GD Estreito, 83; 7.º, GRECAS, 58; 8.º, Marítimo, 48.

Resultados completos na página da FPA.