Recordista mundial Zersenay Tadese regressa a Lisboa para nova meia maratona

Apresentação da t-shirt (foto Marcelino Almeida, Maratona Clube de Portugal)

O Maratona Clube de Portugal apresentou ontem a 19ª edição da Vodafone Meia Maratona de Lisboa destacando o eritreu Zersenay Tadese, recordista mundial de meia-maratona, e a campeã Mundial de maratona Rose Chelimo, do Bahrain, como cabeças de cartaz para a prova de 14 de outubro.

A competição, que tem etiqueta Gold Label da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), tem partida marcada para a zona oriental de Lisboa (no Parque das Nações para a elite, e no tabuleiro da Ponte Vasco da Gama, para os populares), e chegada na Praça do Comércio, ‘cartão de visita’ da cidade.

Tadese, de 36 anos, pentacampeão mundial de meia maratona, bateu o recorde mundial da distância em Lisboa em 2010 (58,23 minutos), mas na competição que se realiza em março e tem a ponte 25 de Abril como emblema.

O eritreu fará, agora, a estreia num novo percurso, hoje anunciado pelo presidente do Maratona Clube de Portugal, Carlos Móia, em nome da organização da prova.

“Ele está cá, por sua vontade, porque manifestou esse desejo de correr este percurso pela primeira vez, ele que já conseguiu tanta coisa na prova da primavera, batendo inclusive o recorde mundial”, afirmou o organizador.

16  mil concorrentes

De acordo com Carlos Móia, “esta é uma prova de grande importância para o turismo desportivo da cidade de Lisboa”. “Num total de 16 mil concorrentes na meia e na mini, teremos 3.500 estrangeiros. Se somarmos os participantes na maratona, que decorrerá no mesmo dia, serão mais de 7.500, o que fez destas provas o segundo maior acontecimento desportivo de escala mundial da cidade”, referiu Carlos Móia.

Num percurso maioritariamente plano, que na fase final sobe ao Marquês de Pombal para terminar no Terreiro do Paço, para além de Tadese, a prova masculina contará com o queniano Japhet Korir (01:00.09 horas), o eritreu Amanuel Mesel (01:00.10) – sexto classificado na Meia Maratona de Lisboa em 2016.

A lista conta ainda com Hassan Chani, do Bahrain (01:00.23), que recentemente se sagrou vencedor dos 10.000 metros nos Jogos da Ásia, e o turco Polat Kemboi Arikan, bicampeão europeu de 10.000 metros (2012 e 2016).

Entre os portugueses, destaque para a presença de Samuel Barata, do Benfica (01:03.52), campeão nacional de estrada este ano.

Campeã mundial em destaque

Em femininos, a principal candidata ao triunfo é Rose Chelimo, do Barhain (01:08.08), campeã mundial de maratona no ano passado, em Londres, que há algumas semanas se tornou a campeã dos Jogos Asiáticos na distância, e que venceu a meia de Lisboa em 2015.

Chelimo terá como principais adversárias a queniana Flomena Cheyech Daniel, que ficou à beira do pódio (4.ª) no Mundial de Londres (2017), e que tem 01:07.39 minutos como recorde pessoal, e a israelita Lonah Chemtai Salpeter (01:08.59), que no princípio de agosto se sagrou campeã europeia de 10.000 metros.

Em termos nacionais estarão em competição três das melhores meio-fundistas portuguesas, todas elas medalhadas em grandes competições internacionais.

São os casos das sportinguistas Sara Moreira (01:09.18), que regressa após presença nos Europeus de Berlim, e Jéssica Augusto (01:09.08), após longo período de paragem por lesão, e a benfiquista Dulce Félix (01:08.33), na sua primeira meia maratona depois de ser mãe.

Sara Moreira honrada com convite

Sara Moreira manifestou-se “honrada com o convite feito para estar presente na prova, num grupo de atletas de grande nível, também com excelentes atletas portuguesas”.

“Estarei em Lisboa por entendermos que nesta fase da época é importante saber como estou a reagir ao treino, pois a mudança de treinador também trouxe alterações no treino e nas rotinas”, justificou a atleta.

A atleta, que não pensa correr nenhuma maratona este ano, pretende traças os seus objectivos desportivos mais tarde, não descartando a sua presença no corta-mato, “até porque os meus treinos e a pré-época que estou a fazer têm uma forte componente de força”, mas sem objectivos individuais. “Se para o Europeu, estando eu em forma, entenderem que serei útil para a equipa, equacionaremos essa possibilidade”, refere a atleta, enquanto aguarda pelo anúncio do processo de qualificação para os Jogos Olímpicos, “o que condicionará a abordagem à época que aí vem”.

Deixamos aqui a lista dos atletas de elite anunciados para esta meia maratona.