Agência Mundial Antidopagem revoga acreditação do Laboratório de Lisboa

Na tarde de ontem, a Agência Mundial Antidopagem (AMA) anunciou em comunicado, ter revogado a acreditação do Laboratório de Lisboa devido à sua não conformidade com os procedimentos internacionais.

O laboratório português, recorde-se, já tinha sido suspenso provisoriamente em 2016 por seis meses e depois por mais um ano, não poderá proceder à análise das amostras por parte de federações ou organizações desportivas que tenham assinado o Código mundial antidopagem.

Segundo o comunicado, a AMA já havia notificado o laboratório de Lisboa na passada segunda-feira (22 de outubro), e ainda ontem o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, admitiu a possibilidade de vir a recorrer da decisão da AMA.

“Estamos de alguma forma surpreendidos, porque fizemos tudo o que tinha de ser feito. Estamos a avaliar, diria com forte inclinação, para discutir isto ao nível do Tribunal Arbitral do Desporto, porque achamos que temos razão para contestar esta decisão da AMA”, disse o governante.

No comunicado divulgado, a AMA revelou estar insatisfeita com os resultados de uma inspecção realizada para “assegurar a completa fiabilidade e precisão das análises antidoping e na divulgação dos resultados”.

Ainda segundo a AMA, findo o período de suspensão, verificando-se que as irregularidades detectadas se mantinham, foi levantado um processo de inquérito a revogação da acreditação, que agora foi decidida.

Ainda no comunicado, salienta-se que o governo português pode recorrer da decisão, deixando ainda aberta a possibilidade de, caso as normas sejam estabelecidas de acordo com os critérios da AMA, poderá haver uma avaliação rápida no sentido de viabilizar de novo a acreditação ao laboratório lisboeta.