Transferências: 1428 mudanças de clube

Lecabela Quaresma (foto FPA)

Ainda há uma associação em que não conseguimos apurar a lista de transferências (Faial), mas os seus números serão pouco significativos para esta grande maioria dos números já apurados, em que somámos 1428 trocas de clubes, o que significa que houve uma mudança de 7,86 % dos filiados em 2018 da Federação Portuguesa de Atletismo.

Face às listas e, antes, aos “posts” nas redes sociais e pequenas notícias que foram surgindo, podem registar-se algumas mudanças interessantes, como os casos de Lecabela Quaresma, do Vidigalense para o Benfica, e de Tiago Pereira, do Benfica para o Sporting. Aliás, os dois clubes forma os “campeões” nos acolhimentos aos jovens atletas, somando, juntos, mais de uma centena! E vindos de todo o país!

O Benfica recebe ainda as jovens Carla Reis (meio-fundo), Catarina Lourenço e Fatumata Balde (velocidade); regista o regresso de Samuel Remédios, proveniente do Juventude Vidigalense, enquanto a equipa sub-20, que se sagrou campeã europeia, recebe o jovem internacional Etson Barros (meio-fundo), proveniente do Pechão.

Quanto ao Sporting, para além de Tiago Pereira, recebe ainda, provenientes da Luz, Eduardo Mbengani, Hugo Ganchas (meio-fundo), os lançadores Rodolfo Garcia e Ruben Antunes, a cubana Yariadmis Argueles; regista o regresso do velocista Pedro Bernardo, que fez parte da sua formação no Sporting, e que estava no Juventude Vidigalense, e recebe as jovens Beatriz Andrade (vinda do Torreense) e Juliana Guerreiro (400 e 400 m barreiras), vinda da Casa do Benfica de Faro.

Do Benfica saíram ainda outros atletas, como os fundistas Hermano Ferreira (vai para a Escola de Atletismo de Coimbra) e Sérgio Dias (Bela Vista, do Algarve), e o lançador Jorge Grave (assinou pelo Jardim da Serra, na Madeira).

Entretanto, a equipa do Sporting de Braga, que este ano regressou ao mais alto nível, manteve muitos dos seus atletas (especialmente a sua ‘joia’ Mariana Machado), e reforçou-se com a marchadora olímpica Daniela Cardoso (ex-individual) e com a fundista Silvana Dias (ex-Benfica), enquanto a equipa masculina recebe o fundista Davide Silva (ex-Campismo S. João da Madeira) e ainda Ricardo Ribas (ex-Benfica). Recebe ainda a fundista Sónia Ferreira (ex-Várzea), mas perde a polivalente Rafaela Vitorino, que reforça o G.A. Fátima, equipa que mais gente recebeu em Santarém.

Resumo nas associações

A Associação de Atletismo do Algarve regista 81 transferências (18 entradas), destacando-se André de Sá e Danilo Almeida, que saem do Benfica para a Casa do Benfica de Faro.

Em Aveiro, a associação regista 132 transferências (37 entradas), sendo que também se registam 47 saídas para outras associações. C os dados disponíveis é a associação que tem a maior sangria. Nas trocas, registe-se que a Associação Trilhos Luso Bussaco tem muitas entradas!

Beja tem poucas mudanças (18), todas entre clubes da região.

Braga, como referimos em geral, tem forte entrada de atletas no Sporting de Braga, mas também registou 20 saídas. Entre entradas (12) e trocas tem 40 transferências.

Bragança perdeu dois atletas para outras associações e regista 22 transferências locais (a maioria para o Grupo Desportivo de Bragança.

A associação de Castelo Branco registou 27 transferências (5 entradas), com os Leões da Floresta a receberem vários atletas.

Coimbra regista muitas entradas (principalmente para o Eirense e para o Casaense – Escola de Atletismo de Coimbra), com 83 trocas e 33 entradas (116 no total).

Évora regista 6 entradas e 19 trocas (25 transferências no total), sendo que 13 delas resultam de saídas do Estrela de Vendas Novas.

Já a Guarda tem várias movimentações, com as suas 44 transferências (11 entradas).

Como é habitual, Lisboa registou um enorme afluxo de transferências, recebendo 95 novos atletas das restantes associações, contabilizando ainda 187 trocas entre os seus clubes. Benfica e Sporting (em maior número) dominaram este fluxo.

Uma das maiores associações, Leiria, tem 119 transferências (20 entradas), com muitos novos atletas do J. Vidigalense, mas há que notar uma forte mudança do AC Vermoil para o AD Pombal.

Curiosas as transferências na Madeira. Foram 179 (24 entradas), o que significa que 10 por cento dos filiados na associação trocaram de clube, com os mais representativos, como Jardim da Serra e Estreito, a receberem muita gente.

Portalegre registou 18 mudanças (3 entradas), com mudanças da Casa do Benfica para a Academia José Jacob.

Mais a norte, no Porto, 85 mudanças (25 entradas), mostram uma associação com atrativos de treino e de competição, com o Maia AC ou o Póvoa de Varzim a conhecerem algum movimento.

Outro caso curioso acontece em São Miguel, com as suas 97 transferências (6 entradas), que correspondem a mais de 10 por cento dos seus filiados!

Em Santarém foram 33 transferências (6 entradas), com o GA Fátima a destacar-se como clube hospedeiro.

Já em Setúbal houve 57 transferências (18 entradas), com muitas alterações entre os clubes da região.

A Terceira regista um número baixo de mudanças (apenas 9), com a Casa do Benfica da Ilha Terceira a destacar-se.

Viana do Castelo tem registos de transferências altos (42), sendo que 5 são entradas, mas a maioria das alterações tem a ver com a mudança dos atletas do CA Arcos de Valdevez para o Academia de Desporto de Arcos de Valdevez.

Vila Real continua com pouco atletismo e as transferências são sinónimo disso: apenas duas e são entradas na associação.

Finalmente, Viseu, a associação com menos mudanças (das que conhecemos): apenas duas. Nenhuma entrada, nenhuma saída.

Ainda não temos a lista de Faial.