10.000 metros saem do programa do Mundial Sub20

Uma pista de atletismo (Photo by Mateusz Dach from Pexels)

A Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) divulgou ontem a mudança de algumas regras, sendo as mais significativas a exclusão da prova de 10.000 m no mundial de juniores e novo modelo de partida nas últimas disciplinas das provas combinadas.

Foi durante o Conselho da IAAF, que decorreu no princípio da semana, que se tomaram estas decisões. Assim, os jovens masculinos e femininos meio-fundistas, terão as opções de 3.000 e 5.000 metros. Foi anunciada ainda a inclusão de uma estafeta mista de 4×400 metros ao programa e um novo sistema de partidas nas últimas disciplinas das provas combinadas. Será utilizado o método Gunderson, partidas desfasadas, em tempo, após a conversão das diferenças pontuais dos atletas, partindo primeiro o que estiver a liderar a pontuação. Este sistema de partidas (utilizado no pentatlo moderno) é para as provas de 1500 m no decatlo e 800 m no heptatlo.

Foram divulgados os mínimos para as equipas participarem no Mundial de Estafetas no próximo ano, em Yokohama (Portugal tem o 27º lugar e podem participar 24 seleções) e ainda se deu conta oficial do pedido de inclusão da prova de 50 km marcha feminino no programa dos Jogos Olímpicos, a começar já em Tóquio 2020.

Entretanto, pedia-se uma alteração à regra de violação das linhas dos corredores das pistas, que tantas desclassificações provocou nos Mundiais de Pista Coberta deste ano, mas essa pretensão não foi aceite.

Foi ainda confirmada a permissão da possibilidade de substituições de quatro elementos das estafetas e fica decidido que os famosos rankings mundiais vão ficar visíveis publicamente a partir de 1 de Janeiro de 2019, para que todos se possam familiarizar com a sua dinâmica, pois a IAAF pretende fazer deles a principal norma de qualificação para os Jogos Olímpicos