Tribunal Arbitral do Desporto confirma suspensão de 12 russos

Doze atletas russos, entre os quais Ivan Ukhov, campeão olímpico de salto em altura em Londres 2012, e as campeãs mundiais em 2013 Svetlana Shkolina (salto em altura) e Tatyana Lysenko (martelo) foram hoje suspensos por doping por períodos que variam entre os dois e os oito anos, anunciou o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

O campeão olímpico é suspenso por quatro anos (a partir deste mês), mas tem uma desqualificação retroativa no período de julho de 2012 a dezembro de 2015, o que lhe retira o título olímpico, que passará para o norte-americano Erik Kinard, com o trio do bronze, Robert Grabarz (Grã-Bretanha), Mutaz Essa Barshim (Qatar) e Derek Drouin (canadá) a poder subir à prata e o norte-americano Jamie Nieto a chegar ao bronze.

No caso de Shkolina, sensivelmente com a mesma punição, a perda do título mundial de 2013 parece certo, assim como o bronze olímpico de 2012, sendo “promovidas”, em termos mundiais, a americana Brigetta Barrett ao ouro, enquanto para a prata sobem a espanhola Ruth Beitia e a russa Anna Chicherova (que, entretanto, também esteve suspensa dois anos por doping!), e a sueca Emma Green poderá ter o bronze. Ruth Beitia poderá também ser “beneficiada” ascendendo ao bronze olímpico de Londres 2012.

Nestes processos, o TAS substituiu a Federação Russa de Atletismo, suspensa desde 2015 devido a um escândalo de doping revelado pelo relatório McLaren, que está na base das investigações aos atletas agora punidos.

As suspensões mais pesadas, de oito anos, foram impostas às lançadoras do martelo Gulfya Agafonova e Tatyana Lysenko (campeã mundial em 2013), com efeitos retroativos a janeiro de 2017 e julho de 2018, respetivamente. Lysenko tem também anulados os resultados entre julho de 2012 e julho de 2016, perdendo assim o título mundial, que deverá passar para a polaca Anita Wlodarczyk. As chinesas Wenxiu Zhang e Zheng Wang deverão receber as medalhas de prata e bronze, respetivamente.

Estas decisões de hoje, de primeira instância, podem ser objeto de recurso para o comité de apelo do TAS no prazo de 21 dias.

Entretanto, deixamos aqui o link para a decisão do TAS.