Sporting e Benfica revalidaram títulos nacionais

Festa final

O Sporting, em femininos, e o Benfica, em masculinos, revalidaram os títulos nacionais de de clubes em pista coberta, em provas realizadas nas renovadas instalações que acolhem a pista em Braga, com muito público a assistir, em grandes condições para a modalidade (em complemento disputou-se a segunda divisão).

A transmissão em direto, os resultados em tempo real e a dinâmica da competição, ajudaram a um grande espectáculo desportivo, com as equipas empenhadas em dar o seu melhor.

Na competição feminina, o favoritismo leonino foi uma constante, mas no segundos dia perdeu três provas, pois Dulce Félix, do Benfica, foi uma vencedora categórica (derrotando até a jovem Mariana Machado) nos 3000 metros, e a sua colega de equipa, Eliana Bandeira, também venceu claramente o lançamento do peso. Inesperada foi a derrota nos 800 metros, com Carla Mendes, do Vidigalense, a conseguir um excelente resultado (2.08,32). Já no primeiro dia, a derrota no salto em altura também foi uma surpresa.

As outras provas deram triunfos claros do Sporting, pois Patrícia Mamona venceu o triplo com 14,10 metros, Eleonor Tavares venceu o salto com vara (4,10 metros), Olímpia Barbosa venceu os 60 metros barreiras em 8,24 (igualando o seu melhor obtido na véspera, a escassos quatro centésimos dos Europeus), e a estafeta de 4×400 metros, cumpriu integralmente com o que se esperava.

No final, o Sporting somou 99 pontos, mais 14 que o Benfica, segundo classificado (85), com Juventude Vidigalense a subir ao pódio somando 66 pontos, com a equipa da casa, o Sporting de Braga, em quarto lugar.

Benfica revalida título masculino

Em masculinos, o Benfica acentuou a sua superioridade no segundo dia, perdendo apenas uma prova para o Sporting, os 800 metros, com o júnior madeirense Nuno Pereira, campeão de Portugal.

De resto, grande momento competitivo surgiu no triplo-salto, com Pedro Pichardo a saltar 17,32 metros na sua única prova de pista coberta nesta temporada, a conseguir um triunfo perante Nelson Évora, que fez a sua melhor marca deste ano (16,77 m), dando mostras de subida de forma a duas semanas dos Europeus de Pista coberta. E depois um desfile de vitórias por Rui Pinto, nos 3000 metros (8.16,91 minutos), Tsanko Arnaudov no peso (19,36 metros), João Vitor Oliveira nos 60 m barreiras (com Rasul Dabo, do Sporting, a ficar em segundo, correndo abaixo dos 8 segundos) e a estafeta de 4×400 metros.

No final, o Benfica terminou com 100 pontos, mais 12 que o Sporting. Enquanto o Juventude Vidigalense subiu ao terceiro lugar com 66,5 pontos, mais dez pontos que a equipa do Sporting de Braga, quarto classificado.

Resultados completos na página da FPA.