Dulce Félix campeã de Portugal e segunda no Troféu Ibérico de 10.000 m

Dulce Félix (foto Marcelino Almeida)

A benfiquista Dulce Félix sagrou-se hoje campeã de Portugal de 10.000 metros (depois de ser campeã de corta-mato), mas terminou em segundo lugar no Troféu Ibérico de 10.000 metros, perdendo no final para a espanhola Trihas Gebre, que venceu a prova pela terceira vez.
A espanhola, nascida o País Basco, mas de ascendência etíope, registou a marca de 31.55,01 minutos, 94 centésimo menos que a campeã portuguesa (31.55,95), que ficou a pouco mais de cinco segundos dos mínimos para os Campeonatos Mundiais de Doha.

Excelente corrida ainda de Carla Salomé Rocha (32.28,02), que terminou em terceiro lugar, embora a cerca de meio minuto das duas primeiras. Depois delas, Susana Godinho foi a terceira portuguesa (9ª, com 33.23,31) e a quarta, a contar para a classificação coletiva, foi Ana Mafalda Ferreira (11ª, com 33.29,47). As quatro portuguesas conseguiram mínimos para a Taça da Europa de 10.000 m (assim, como Susana Francisco, do Sporting, 12ª com 33.42,38, e Susana Cunha, do Recreio Águeda, 13ª com 33.53,38).

Assim, as espanholas quebraram a tradição e venceram coletivamente (2:10.44,70 horas, soma dos tempos das quatro primeiras de cada equipa), com as portuguesas a somarem 2:11.16,75.

Sportinguista Davis Kiplangat venceu em masculinos

Pior resultado conseguiram os atletas masculinos, bem longe dos primeiros, mas com um clube português, o Sporting, a “brilhar” com o triunfo do queniano Davis Kiplangat, que cortou a meta em 27.56,43 minutos (a cinco segundos do recorde pessoal), derrotando o seu compatriota Isaac Kiprono (28.13,02) e o espanhol Antonio Abadia (28.13,19).

O melhor português foi António Pedro Rocha (S. Salvador do Campo), com recorde pessoal (19º, 29.33,04), marca de qualificação para a taça da Europa da distância, que se realizará em Londres, chegando antes de Daniel Gregório (CA Seia), também ele com recorde pessoal (20º, 29.34,69) e qualificação para a taça da Europa.

Coletivamente, a Espanha triunfou pelo sétimo ano consecutivo (1:53:41,63 horas), com Portugal a mais de cinco minutos dos espanhóis (1:58:47,80).

Bons desempenhos tiveram ainda Bruno Batista, de Rio Maior, vencedor da série B (29.56,17) – e ainda contou como quarto português -, e Manuela Martins (Maratona) a ficar em segundo lugar na série B (36.17,47, campeã nacional sub23), a pouco mais de um segundo da marca de qualificação para os europeus da categoria, perdendo com a espanhola Barbara Ramon (36.16,96). Outra portuguesa, Joana Ferreira (Eirense), foi sétima (37.06,53)

Nos sub20, o jovem Francisco Cerveira, do Rio Maior, foi quarto classificado, com 15.21,01, recorde pessoal.

Principais resultados:

10.000 metros – 1. David Kiplangat (Qué, Sporting), 27.56,43; 2. Isaac Kiprono Yego (Qué), 28.13,02; 3. Antonio Abadia (Esp), 28.13,19;…; 19. António Pedro Rocha (S Salvador Campo), 29.33,04; 20. Daniel Gregório (CA Seia), 29.34,69; 23. Bruno Albuquerque (Sporting), 29.43,90.

10.000 m B (Absolutos e sub23) – 1. Bruno Batista (Rio Maior), 29.56,17; 2. Eduardo Menacho (Esp), 30.27,41; 3. Filipe Vitorino (Rio Maior), 30.32,35; 4. Johan Caldeira (Campismo SJ Madeira), 31.12,92; 12. Cristiano Borges (Sporting), 31.56,65.

5000 m (sub20) – 1. Hicham Serrouckh (Esp), 15.06,40; 4. Francisco Cerveira (Rio Maior), 15.21,01; 13. Vicente Cerveira (Vitória SC), 16.10,20.

10.000 m – 1. Trihas Gebre (Esp), 31.55,01; 2. Ana Dulce Félix (Benfica), 31.55,95; 3. Carla Salomé Rocha (Sporting), 32.28,02;…; 9. Susana Godinho (Sporting), 33.23,31; 11. Ana Mafalda Ferreira (Sporting CP), 33.29,47; 12. Susana Francisco(Sporting), 33.42,38; 13. Susana Cunha (Recreio Águeda), 33.53,38; 24. Patrícia Oliveira (Grecas), 36.33,39.

10.000 m B (sub23) – 1. Barbara Ramon (Esp), 36.16,96; 2. Manuela Martins (Maratona), 36.17,47; 7. Joana Ferreira (Eirense), 37.06,53.

5000 m (sub20) – 1. Carla Arce (Esp), 17.25,64; 9. Mónica Silva (Vitória SC), 18.07,05.