Carla Salomé Rocha terceira portuguesa de sempre em maratona

Fotyo do Facebook da atleta

Excelente presença de Carla Salomé Rocha, terminando no oitavo lugar da Maratona de Londres, com a marca de 2:24.47 horas, com marca de qualificação para os Mundiais e também ultrapassando os mínimos internacionais para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

A atleta do Sporting tornou-se assim a terceira melhor portuguesa de sempre, apenas atrás de Rosa Mota (2:23.29) e Jessica Augusto (2:24.25).

A queniana Birgid Kosgei venceu a maratona de Londres em 2:18.20 horas, à frente da sua compatriota Vivian Cheruiyot (2:20.14) e da etíope Roza Dereje (2:20.51).

Em masculinos, o vencedor foi o recordista mundial e campeão olímpico Eliud Kipchoge, que venceu pela quarta vez em Londres, agora com a marca de 2:02.37 horas, recorde da prova e segunda marca mundial de sempre, a pouco menos de um minuto do seu recorde mundial (2:01.39).

O segundo classificado foi o vencedor da Meia Maratona de Lisboa deste ano, o etíope Mosinet Geremew, com 2:02.55 horas, um recorde pessoal. Fechou o pódio o etíope Mule Wasihun (2:03.16).
O quarto classificado também foi um etíope, Tola Kitata (2:05.01), enquanto o britânico Mo Farah foi quinto classificado com 2:05.39.

Catarina Ribeiro no pódio em Pádua

Já a sportinguista Catarina Ribeiro (do mesmo grupo de treino de Salomé Rocha) regressou a Pádua, cuja maratona venceu em 2018, e agora subiu ao terceiro lugar do pódio, terminando com a marca de 2:30.52, perto do seu recorde pessoal (2:30.11), fora da marca de qualificação para os Mundiais de atletismo.

A vencedora foi a etíope Abra Demisse Ayantu com a marca de 2:29.30 e a segunda foi Elvane Nimbona, do Burundi, com 2:30.28

Rui Pinto o melhor português em Hamburgo

Já na Maratona de Hamburgo, o benfiquista Rui Pinto foi o melhor português, terminando na 34ª posição, em 2:19.09 horas, ainda assim a segunda melhor marca portuguesa deste ano.

O vencedor da prova foi o etíope Tadu Abate (2:08.25 h) e em femininos venceu outra etíope, Dibabe Kuma (2:24.41).

Quanto aos outros portugueses em prova, Jessica Augusto desistiu depois dos 25 km e Nuno Lopes desistiu depois dos 35 km.

Dulce Félix oitava em meia maratona no Japão

A atleta portuguesa Dulce Félix classificou-se em oitavo lugar na meia maratona de Gifu, no Japão, cortando a meta com a marca de 1:14.14 horas, numa prova ganha pela queniana Ruth Chepng’tich, com 1:06.06 (recorde do percurso). Os outros dois lugares do pódio pertenceram às quenianas Joan Chelimo (1:08.01) e Evaline Chirchir (1:08.07).

Na prova masculina o vencedor foi o queniano Amos Kurgat, com 1:00.34 horas.