Maratona de Lisboa em busca de recordes

Africanas na Meia Maratona de Lisboa (foto arquivo)

Está tudo a postos para a EDP MARATONA DE LISBOA 2019, que volta a apresentar-se como uma prova equilibrada, destacando-se a presença de oito atletas com recordes pessoais abaixo das duas horas e nove minutos. Serão eles os “motores” do objetivo de melhorar ainda mais o recorde da prova, que está em 2:08.21 horas.

Nesta prova que volta a partir de Cascais, atravessando ainda o concelho de Oeiras, para terminar no principal postal turístico de Lisboa, a Praça do Comércio, estarão presentes seis atletas de categoria Gold da IAAF (Federação Internacional, em processo de transferência de nome para World Athletics), sendo o mais destacado deles o queniano Stephen Chemlany, terceiro na maratona de Praga, este ano, e que tem coo recorde pessoal a marca de 2:06.24 horas. Depois teremos o recordista do percurso, Samuel Wanjiku, que venceu a prova em 2014 (então em 2:08,21), e que agora tem um recorde pessola de 2:07.04, tendo vencido a maratona de Otsu em 2015.

Depois, até duas horas e nove minutos teremos mais seis concorrentes: os quenianos Barnabas Kiptum (2:08.02), segundo na Gold Coast Marathon em 2019, Patrick Terer (2:08.07), segundo na maratona de Zhengzhou (2019), Joseph Aperumoi (2:08.26), segundo na maratona de Geneva em 2018, e ainda Richard Mengich (2:08.46), 8º na maratona de Paris em 2017 e quinto na maratona de Gyeongju (2018); e ainda os etíopes Andualem Shiferaw (2:08.16), vencedor das maratonas de Castellon e Riga, ambas em 2019, e Birhanu Teshome (2:08.20), oitavo na maratona do Dubai (2019).

São os nomes mais sonantes de um conjunto de mais de dezena e meia de atletas de grande nível que podem melhorar as suas marcas em Lisboa, incluindo-se nestes atletas alguns estreantes na distância.

Em femininos, a etíope Sechase Dalasa (2:26.27), vencedora da maratona de Guiyang (e quinta na maratona de Houston) em 2019, e a queniana Truphena Chepchirchir (2:28.11), segunda na maratona de Marraquexe em 2018, assumem-se como as principais favoritas ao triunfo.

O grupo de elite conta ainda com mais três atletas que têm recordes pessoais abaixo de 2h30m, a etíope Gedo Sule Utura (2:29.04), 8ª na maratona do Dubai 2019 (e vencedora da maratona de Santa Monica em 2018), e as quenianas Helen Jepkurgat (2:29.10), sexta na maratona de Praga (2019), e Doris Changeywo (2:29.50), sexta na maratona de Milão 2019.

Entre as portuguesas, Rosa Madureira tentará ser a melhor portuguesa na prova, o que já aconteceu por quatro vezes, registando-se a estreia de Jessica Pontes, do Sporting de Braga.