Quatro recordes nacionais nos melhores nacionais sub18 de sempre!

Sporting (masculinos) e Juventude Vidigalense (femininos) triunfaram coletivamente; os recordes foram alcançados por Sisínio Ambriz (Benfica), Leonor Ferreira (Maratona), quartetos de 4×300 do Benfica (masculinos) e Juventude Vidigalense (femininos)…

 

Por Alexandre Costa, especial para o MelhorMarca.pt

 

No passado fim de semana, em Braga, num ambiente propenso para competir, tivemos a 6ª edição dos Campeonatos Nacionais de Juvenis de Pista Coberta, que culminou com a maior participação de sempre (325 atletas no conjunto de ambos os escalões). Além da participação, competitivamente foram também os melhores campeonatos de sempre, tendo caído quatro recordes nacionais (dois masculinos e dois femininos) e 11 recordes dos Campeonatos (7 masculinos e 4 femininos). Comparativamente ao ano de 2019, apenas cinco marcas alcançadas pelos vencedores seriam suficientes para ser campeões no ano de 2020, o que revela uma considerável evolução ao nível do escalão juvenil de uma forma global.

O setor da velocidade esteve em grande plano ao ter três novos recordes nacionais! Dois deles foram alcançados nas estafetas de 4x300m (apenas o 2º ano que se realiza esta disciplina) pela equipa masculina do SLB (Diogo Barrigana, Élvio Silva, André Drozdovskiy e Sisínio Ambriz) com a marca de 2:28,51 (média de 37,00s por atleta!) e pela equipa feminina da JV (Joana Gameiro, Lara Duarte, Mariana Videira e Sofia Lavreshina) com a marca de 2:52,17 (média de 43,00 por atleta, embora o último percurso da atleta de Leiria tenha sido absolutamente incrível!). O último dos recordes nacionais, no setor da velocidade, foi quebrado por Leonor Ferreira (Maratona Clube de Portugal, treinada por Álvaro Costa) com 39,39, que pulverizou o anterior máximo na posse de Marisa Vaz Carvalho (39,92), sendo que a segunda classificada, Sofia Lavreshina (JV, treinada por Nuno Marques) alcançou a marca de 39,85 ficando com a segunda melhor marca de sempre na distância. Continuando nos 300m, embora no setor masculino, destaque para a vitória folgada do atleta Gabriel Maia (CCDR, treinado por Pedro Oliveira) com a marca de 35,61, acompanhado no pódio por Francisco Silva (JV) com 36,25 e Daniel Siva (MAC) com 36,37, passando os três atletas a figurar no top 10 dos melhores de sempre na disciplina (Gabriel 2º, Francisco 6º e Daniel 8º melhores de sempre).

Relativamente à distância mais curta, os 60m, no lado feminino vitória para Joana Dias (SLB, treinada pela recordista nacional de barreiras Isabel Abrantes) com a marca de 7,77 (9ª de sempre). No lado masculino, vitória para João Magalhães (SLB, também treinado por Isabel Abrantes) com a marca de 7,09 (embora com um RP de 7,04 que o coloca como 8º de sempre). Tivemos nos 60m barreiras masculinas uma das provas mais competitivas dos campeonatos, onde a vitória sorriu ao talentoso Sisínio Ambriz (SLB) com a excelente marca de 8,06, ele que é o atual recordista da distância. Na 2º posição ficou Diogo Barrigana (SLB, treinado pelo pai Paulo Barrigana) com a marca de 8,10, ascendendo a 5º de sempre igualado com o bem conhecido Arnaldo Abrantes, e na 3ª posição a apenas 1 centésimo ficou Francisco Costa (CCDR, treinador por Pedro Oliveira) ele que era o campeão em título, agora como 7º de sempre. Nas barreiras femininas despique muito cerrado para a vitória que sorriu à atleta Margarida Patrício (AEAC, treinada por Pedro Barbosa) com 8,97, face aos 8,98 de Ashley Nhunga (JV, treinada por Daniela Ferreira).

No setor dos saltos foi quebrado mais um recorde nacional na disciplina do salto em comprimento pelo atleta Sisínio Ambriz (SLB) com a excelente marca de 7,37m ficando a apenas 1cm do recorde de ar livre na posse de Marcos Caldeira (este que era também o detentor do anterior recorde de pc com 7,14m)! Destaque ainda para a segunda posição de Simão Alexandre (AEAC, treinador por Pedro Barbosa) com 6,88m que passa a ser o 7º de sempre. No género feminino vitória para Lurdes Olivera (GRE-AA) com 5,50m, a mesma marca que Lara Rego (CAM) na 2ª posição, embora com um segundo salto menos longo que a atleta de Coimbra. No salto em altura feminino 2º título nacional para a açoriana Elena Furka (ACM, 1º título no pentatlo), com a marca de 1,64m, sendo que no lado masculino a vitória pertenceu ao atleta Rodrigo Caetano (ESCMOV) com 1,91m, igualado por Manuel Viera (ADRAP) que ficou na 2º posição, embora tenha ultrapassado a fasquia apenas à 2ªtentativa. Relativamente ao triplo salto masculino, vitória para o atleta do Cartaxo Simão Alexandre com a marca de 13,83m alcançados no último e derradeiro ensaio. No lado feminino vitória a pertencer à Sofia Lavreshina que apenas precisou de realizar dois ensaios para triunfar com a marca de 11,65m, somando assim mais um título ao dos 4x300m. Para concluir o setor dos saltos seguimos para o salto com vara masculino, ganho por Diogo Martins (ACDJS, treinado por Alcino Pereira) com a marca de 4,15m. No género feminino nova vitória para a JV, através da atleta Bruna Santos (treinada por Tomé Agostinho), com a marca de 3,05m.

Passando agora para o setor de meio-fundo, nos 800m dupla vitória para atletas do SCP, David Garcia (treinado por Susana Silva) no lado masculino com 1:56,29, subindo a 5º de sempre, e Rita Figueiredo (treinada pela mãe Fátima Neves) com 2:16,68, no feminino. Na distância dos 1500m nova vitória para Rita Figueiredo, com 4:54,12, a demonstrar uma excelente ponta final. No género masculino a vitória a sorrir ao atleta Francisco Silva (EARO – ele que tinha sido 2º nos 800m embora desclassificado por pisar a linha interior da pista) com 4:03,70 seguido de perto pelos atletas do SCP David Garcia e Rodrigo Lima com 4:04,61 e 4:04,63 respetivamente. Na distância mais longa, os 3000m, vitória alcançada pelo atleta da UDV, Rúben Pires com 8:47,14, sendo que Ana Silva (MAC, treinada por Carlos Monteiro) venceu no lado feminino com a marca de 10:14,16.

No setor da marcha, na versão mais curta, uma agradável surpresa no lado masculino com a vitória do atleta Filipe Loureiro (CFOD) com 23:09,99 (melhorou o 3º lugar do ano passado retirando mais de 2 minutos à marca que tinha então alcançado, 25:15,27!) à frente de Pedro Dias (COP) 23:22.08, que ficou à quem da marca com que se tornou campeão na época passada (22:49,84). Catarina Torres (SCP) foi a vencedora dos 3000m marcha com o registo de 14:29,54, a destronar a campeã em título, Inês Mendes (CNRM) que obteve a marca de 14:41,37.

Por fim temos o setor de ançamentos, onde temos apenas a prova do lançamento do peso com a vitória a sorrir a David Pereira (CA Marinha Grande) com 15,11m, ele que se sagra bicampeão nacional na disciplina, após a vitória em 2019. No género feminino vitória para a recordista nacional do escalão de iniciadas, Letícia Lopes (CD Quarteira) com a marca de 13,20m.

Coletivamente o Sporting sagrou-se bicampeão nacional no género masculino, seguido de perto pelo SLB (140-130 pontos), com a JV a fechar na 3ª posição (54 pontos). No lado feminino vitória para a JV com 156 pontos, bem à frente de SLB (113 pontos) e SCP (77 pontos). Relativamente a campeões nacionais o SLB conquistou 5 títulos nacionais, SCP 4 títulos nacionais, JV 3 títulos nacionais e ainda a referência à AEAC que contou com dois títulos nacionais. A JV foi o clube que mais medalhas conquistou com 11, seguida de perto pelo SCP com 10 medalhas e SLB com 8 medalhas. Destaque ainda para as 6 medalhas conquistadas pelo MAC e pelas 4 da ESCMOV.

Resultados completos na página da Federação Portuguesa de Atletismo

Fotos: Federação Portuguesa de Atletismo