World Athletics extingue Taça Continental

Francis Obikwelu na Taça Continental em Madrid

Numa das suas últimas determinações, a World Athletics decidiu extinguir a Taça Continental, alegando que não há datas nos calendários para a continuidade da competição que já existia há 43 anos.

Iniciada em 1977, então com a designação de Taça do Mundo, a competição tinha a denominação de Taça Continental e no seu formato mais recente colocava em competição direta dois representantes de África, Américas, Ásia e Europa. A última edição realizou-se em 2018, em Ostrava (República Checa), com triunfo das Américas perante a Europa.

A competição realizava-se a cada quatro anos e já tinha alguns problemas em convocar os melhores atletas.

Portugal também “participou” nestas competições com atletas selecionados para representar a seleção da Europa e a primeira vez que tal sucedeu foi em 1985, em Canberra, na Austrália, na Taça do Mundo marcada pelo recorde mundial dos 400 metros femininos obtido por Marita Koch, ao serviço da RDA, que venceu a competição feminina, enquanto os Estados Unidos venceram a masculina.

Estreia portuguesa por Aurora Cunha… com triunfo!

Nessa edição, a portuguesa Aurora Cunha foi a representante da seleção da Europa e conseguiu um brilhante triunfo nos 10000 metros, contrariando o favoritismo da russa Olga Bondarenko (terceira).

Aurora Cunha a primeira portuguesa a representar a seleção da Europa

Apenas mais um atleta português venceu a sua prova, foi Francis Obikwelu, vencedor dos 200 metros (3º nos 100 metros e fez ainda parte da estafeta de 4×400 metros que terminou desclassificada) na Taça do Mundo realizada em Madrid (2002).

Mas houve mais portugueses nas seleções da Europa e que competiram com brilhantismo: em 1994, em Londres, Fernanda Ribeiro foi segunda nos 1000 metros; Rui Silva, também foi segundo classificado nos 1500 metros, mas na Taça do Mundo de 1998, em Joanesburgo, enquanto Carla Sacramento foi terceira na mesma distância em femininos; Francis Obikwelu (o único a ser selecionado duas vezes, a par de Naide Gomes) foi também segundo classificado nos 100 metros em 2006, em Atenas (e foi quarto nos 200 metros), na mesma competição em que Naide Gomes foi segunda classificada no salto em comprimento.

Já no novo formato, de Taça Continental, a primeira edição (Split, em 2010) recebeu três participações portuguesas: Naide Gomes foi quinta no salto em comprimento, Sara Moreira foi sexta nos 3000 metros, e Jessica Augusto foi sétima nos 5000 metros.

A última presença portuguesa foi por intermédio de Nelson Évora quarto classificado no triplo-salto da competição realizada em Ostrava (R. Checa), em 2018.