Europeus de Pista Coberta em dia 0

Este é o dia 0 (zero) dos Campeonatos da Europa em Pista Coberta. Assim é chamado por ser um período de qualificações, só numa jornada vespertina. São as qualificações de salto em altura e salto em comprimento masculinos e as três provas que têm portugueses; lançamento do peso feminino, 3000 metros femininos e 1500 metros masculinos.
É nestas que nos focamos agora, mencionando o horário em Portugal.

Lançamento do peso feminino (18h15) – 17 concorrentes

Auriol Dongmo será a representante portuguesa. Com um impressionante recorde de 19,65 metros obtido em Karlsruhe, no World Indoor Tour, a atleta treinada por Paulo Reis apresenta-se com a melhor marca da época, sendo considerada favorita para a final. A sua maior rival será a germânica Christina Schwanitz, que tem 19,10 metros esta época (e perdeu com a portuguesa), mas tem um recorde pessoal de 20,05 metros.
Para Auriol, esta é uma prova em que deseja atingir «o ponto mais alto possível», sendo esse o foco do seu trabalho. «Melhorar o recorde pessoal», é um dos objetivos para esta competição.
A qualificação atinge-se aos 18,40 metros ou as oito primeiras desta ronda. A final está marcada para amanhã, às 18h06.

3000 metros femininos – meia final (19h43) – 25 concorrentes em duas meias finais

Duas meias finais com o apuramento para a final a compreender as quatro primeiras em cada corrida e os quatro melhores tempos no conjunto final. Mariana Machado é a representante portuguesa numa estreia absoluta e isso, afirma a atleta, «é marcante. Uma estreia é algo que perdura nas nossas memórias para sempre, mas o sentimento especial neste momento é o de voltar a vestir esta camisola numa grande competição. Confesso que já estava desejosa de participar num grande campeonato, porque nós treinamos diariamente para competir».
Esta é uma prova em que Mariana Machado, treinada por Sameiro Araújo, entra sem responsabilidade acrescida, por isso «o principal objetivo é desfrutar desta participação, tenho apenas 20 anos e acho que será experiência importante para regressar a este palco e lutar por resultados maiores. Chegar à final é difícil, mas não é impossível e é por esse objetivo que vou lutar, tal como o meu recorde pessoal (9.02,56 minutos). Não tive hipótese de o fazer em Portugal, não houve oportunidade no estrangeiro, mas se a prova for rápida – que não é o habitual nestes campeonatos – penso tentar correr abaixo dos nove minutos, marca que penso estar a valer».

1500 metros masculinos – meias finais – 51 concorrentes em quatro meias finais

Esta prova tem forte concorrência e o acesso à final não será nada fácil, talvez o mais difícil de todas as provas, já que apenas passam à final os dois primeiros de cada corrida e os quatro melhores tempos seguintes.
Portugal terá três representantes, todos eles estreantes na competição. Isaac Nader será o primeiro em ação, alinhando à partida da segunda meia final (19h30), onde estará o espanhol Ignacio Fontes, um dos candidatos às medalhas. O recorde pessoal do português (3.41,86 minutos) é recente, deixa-o no topo do ranking nacional, mas isso não o intimida. «Não acho que isso coloque algum objetivo especial na minha prestação, penso que apesar de ser difícil, uma passagem à final seria já uma prestação positiva. Sinto-me bastante bem, agora na prova é dar o meu melhor e desfrutar ao máximo da competição», refere o atleta treinado por Rui Silva, o melhor português de sempre na competição. Isaac destaca um dos conselhos do seu treinador, «nas provas tenho de acreditar e que os outros são iguais a nós. Isso ajuda-me a pensar que passa muito por aí. Já treinamos muito e depois disso é acreditar e ter aquela pontinha de sorte que também faz falta».

Às 19h40 será a meia final 3, onde estará o principal favorito, o norueguês, Jacob Ingebrigtsen, e onde alinhará o português Nuno Pereira. O atleta madeirense, campeã Europeu sub20 ao ar livra, também entra na competição com um recorde pessoal recente (3.42,10). Muito pragmático, o atleta admite que o seu grande objetivo passa «pelo Europeu de sub23 que se realizará na Noruega, no Verão, e, quem sabe, uma qualificação para os Jogos Olímpicos».
Para ele, e para o seu treinador, Diogo Sousa, «devido a tanta incerteza não sabíamos se esta competição se iria realizar ou não, mas sempre foi o principal objetivo da época de Inverno. Agora que aqui estou, apesar de ser a minha estreia a nível absoluto, venho com expectativas de um bom resultado, que neste caso seria uma passagem à final!», concluiu.

A última das meias finais (19h50) aguarda por José Carlos Pinto. O atleta treinado por Susana Silva, especialista em 800 metros, acabou por conseguir um apuramento inesperado nos 1500 metros, com um recorde pessoal de 3.42,47 minutos, o que, «foi uma surpresa apurar-me nos 1500 metros e não na minha prova habitual! A aposta nesta distância maior surgiu derivado aos resultados dos 800 metros. Não estávamos a conseguir ter as prestações que desejávamos, então surgiu a hipótese de ir correr 1500 metros e ver o que estávamos a valer! Acabou por sair um grande recorde pessoal e consequentemente os mínimos de participação para o campeonato da Europa». Agora, refeito da surpresa, «o objetivo em Torun passa pela minha auto-superação, enquanto atleta. Quero sair da Polónia com o sentimento de dever cumprido! Era excelente carimbar um lugar na final!».